sábado, 27 de junho de 2009

Divergências esclarecidas, make love.

Nunca fui de escrever sobre amor. Mas eu tenho disso, é difícil saber quando sentimentos novos me pegam de surpresa. Aí o que me resta é levar os dedos às teclas e expurgar tudo corpo afora.

Então, estava eu numa tarde dessas em que o tempo no céu varia constantemente, pensando no telefone que não tocava, nos textos travados e esquecidos no fundo daquela pasta do meu computador, quando, enfim, me dei conta de que falar de outras pessoas no papel se torna bem mais interessante quando conseguimos traçar nosso próprio perfil de ser humano.

Sentado aqui, me veio à cabeça de falar como relacionamentos são coisas simples que as pessoas gostam de colocar impecílios. Sinceramente, não consigo imaginar como o amor, uma coisa tão vaga - quando se olha pra quem se dirige (amor de mãe, amor de irmão, amor à uma crença, cantor, banda, estrela pop morta) - não é descrito como a simples variação da amizade. O puro sentimento que as pessoas costumam buscar não é nada além de um amigo que te estenda não só um braço, mas o coração pra que você cuide e o ajude a resolver, em alguns casos, seus traumas, em outros, simplesmente mostrar como conversar e rir com quem é seu amigo pode levar você ao paraíso em instantes. Sou muito mais isso do que meia hora com um otário que só te leva pra cama e se acha demais por uma noite de drogas, sexo and rockandroll, 1bgs.

Nessa minha cabeça pertubada eu me imagino vivendo ao lado de alguém que alimentasse esse sentimento amigo a cada dia, que me levasse aos melhores lugares sem movermos um passo do chão, que não precisasse de nada além da companhia e das histórias divertidas pra nos fazer sorrir. Mas nada que queira durar como resultado da amizade verdadeira = amor, tinha de se reverter em sentimento de irmão. Como eu já li a verdade nua e crua dizer: "Relacionamento é igual à sopa: tem que comer enquanto está quente, senão esfria e estraga".

Stay hot and make love.

3 comentário:

chuva de limão disse...

você é o meu escritor favorito... e tudo vai ficar bem, acredite.

eu amo você também, e agosto está chegando hiiiiiha!

manie.

Renan disse...

Sabe, eu acho que relacionamentos devem ser, memso que pareça batido, "eternos enquanto duram", quando acaba, não é que no tenha dado errado, mas que deu certo por um certo tempo e acabou. Acho que é assim, acho que não existe eterno e sim os que obriaramse a ficar juntos e no fim, há apenas amizade, irmandade mesmo, saca... o amor de pixão e tezão morre, o queresta é o companheirismo, a necessidade de ter um ao lado do outro, de ter vivido u tempo, uma vida próximos, como amigos irmãos quase, o "marido-mulher" morre, sabe.

Carolina disse...

Sabe que vendo por esse ângulo (que me parece o mais sensato) é verdade...
Super atoron seu texto migz, continue escrevendo, haha *-*

Postar um comentário