quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O remédio para amortecer o desastre


Estender a mão ao próximo, ajudar a compor uma sociedade mais igualitária e com menos carência são de longe atitudes nobres que engrandecem o ser humano. Essa onda de solidariedade faz com que surjam ONGs e outras instituições. Nisso, aparecem interrogações à respeito da forma prática que o trabalho voluntário colabora para melhorar tudo que nos cerca e os fatores que vêm impedindo que esses projetos mantenham seu intuito e transforme a sociedade. Além da falta de conhecimento de como integrar-se nessas causas, um agrupamento cada vez maior de pessoas, que crêem que todo trabalho de combater os problemas do país está nas mãos do governo, mantém sua posição, barrando as causas sociais.

Nessa perspectiva, é preferível pensar que as causas sociais têm papel importante porque com a vontade da população de ajudar os que necessitam de assistencialismo é possível diminuir problemas antigos e graves, como a fome e o analfabetismo. Sabe-se que esses erros ocorridos durante a história da humanidade só tem tendência a aumentar, e a atitude correta a se tomar é fazer com que sistema social repare o que transformou.

Embora pareça simples, não é assim que essas questões são tratadas com as pessoas reais. O baixo interesse da população, acreditando ser tarefa única e exclusiva dos governantes se preocuparem com as causas sociais, origina uma dificuldade: poucos se preocupam em por a mão na massa e o trabalho se torna insuficiente para cobrir as necessidades das comunidades carentes. Essa visão distorcida sendo eliminada, favoreceria o olhar do Estado em cima das causas voluntárias, dado o crescimento delas, permitindo as duas vertentes trabalharem em conjunto.

É claro que as pessoas continuam acreditando que tornar-se voluntário está diretamente ligado em doar bens rentáveis, materiais. Ao contrário disso, ajudar nessas instituições é contribuir com tempo, educação, trabalho e tudo mais que transforme futuros ladrões e traficantes em novos empresários, artistas.

Fica evidente, que não basta que acreditemos que a solução para as dificuldades que estão implantadas dentro da sociedade está distante do nosso cotidiano. Com a junção entre governantes e população é possível crer em dias melhores para todos aqueles que dormem sob a sujeira e são submetidos à uma maltratada realidade criada para os vitoriosos.

7 comentário:

Jubs disse...

você vai passar no vest, se suas redações continuarem a essa altura e na altura de seus posts, você pode ter certeza que vai passar, você tem um dom com palavras, sabe disso. e isso já é meio pé na facul (:
ps: viu, as pessoas conseguem sobreviver sem exatas - q

Insights disse...

Lindo seu texto, e você escreve muito bem. Com disseram ai em cima: Você tem DOM mesmo!
PARABÉNS, vou te seguir :* beijo.

Caco disse...

Muito legal o post ! *--------*

Cássio disse...

Tadeu que legal seu texto!
Você escreve muito bem, você tem o meu respeito!
Quanto ao vestibular, não tenha dúvidas, você é muito bom!

Abraço!

Camilla Paranhos disse...

o que voce escreveu é realmente uma realidade né.
"não basta que acreditemos que a solução para as dificuldades que estão implantadas dentro da sociedade está distante do nosso cotidiano" amei essa frase. E você realmente escreve bem pra caramba! *-* parabéns moço.

Mariane Ferrari disse...

o que você escreveu é a realidade que assola a sociedade atual.
todos querem contribuir, todos querem separar o lixo, todos querem que a coleta seletiva venha até a sua rua... mas ninguém realmente quer meter a mão na massa e começar o trabalho. acham que o governo tem que resolver tudo.
é a treva! -q :D
adorei o texto!

beeijos. :*

manie 22k disse...

se a minha professora de português ler isso, ela casa com você, fica a super dica o_o

Postar um comentário