quarta-feira, 7 de abril de 2010

O saudoso tigre do atraso está de volta


Ninguém precisa ser um gênio pra notar que a relação da homossexualidade e a sociedade atual vêm propondo certos desafios que por anos relutou para colocar-se em pauta. Pois se a era da globalização trouxe uma troca de informações e relações interpessoais mais unidas, os debates que liberam o casamento ao terceiro gênero, como muitos soltam o termo por aí, é algo que não ficou de fora do murmurinho tecno-informacional. Subjugados muitas vezes a uma subcultura fora dos padrões da família tradicional, estamos determinantemente mais predispostos a enxergar o gay de maneira menos abrasiva e despida da antiquada visão caricata.

O século XX já se foi, levando com si a herança do pensamento retrógrado, embora de várias maneiras e superações permitisse que o futuro chegasse à nossas janelas, televisores e notebooks. Contudo, não ocorreram mudanças sistemáticas dentro do caráter moral da população, levando à supressão dos direitos de uma minoria raramente vista durante o dado período. Pois que no atual formato social que temos, fica mais transparente a presença de uma orientação sexual transgressora dos padrões antigos, que muito além de descrições e brincadeiras, mostra-se uma posição digna de admiração e total respeito.

Para completar o quadro, não se encontra no Brasil aquilo que em outros países, limitados que estamos por razões históricas de um autoritarismo egoísta e repressor dos direitos comunitários em bem dos valores individuais, já se tornou prioridade estatal. O casamento entre o mesmo sexo em algumas Repúblicas, como Portugal, uma nação ultraconservadora até hoje, foi legalizado pelo Parlamento em vista que não é mais admissível acreditarmos em dogmas que ferem a liberdade daqueles que se ao mundo viessem com sua ficha de escolha de orientação, na certa marcaria a que até hoje é predominantemente portadora de todos os direitos individuais e coletivos: a heterossexualidade.

Nem por bem e nem por mal essa possibilidade é entendida como uma dívida a ser pagar aos que futuramente não terão os benefícios da família tradicional. Entretanto, culpar os políticos significa culpar a própria sociedade. Na logística das democracias – regime predominante hoje - existe uma infinidade de obrigações que deveriam ser cobradas pelos que lutam pela causa homossexual. Se não o fazemos, deixamos em voga nossa postura alienada frente ao mundo contemporâneo. Nesse caso, a descrença política é prejudicial a toda causa popular.

Desta maneira, ao entendermos as relações humanas durante o tempo, percebemos que pouca coisa mudou no que diz respeito à velha lei de um poder sobrepondo-se ao outro. Quanto mais reprimidos e fracos nos mostramos, o tigre da ignorância e repressão nos devora. Resta saber se além do papel ilustrativo social que a homossexualidade tomou nos tempos atuais vamos nos livrar do paradoxo futurístico, tomando um retorno passivo ao passado comparável a um espécime pré-histórica. Ainda temos tempo.

11 comentário:

Michelle disse...

Ótimo texto, Tadeu. Realmente, no Brasil ainda estamos atrasados quanto aos outros países, mas acredito que um dia os brasileiros irão cair em si e ver que gay ou não, todos temos os mesmos direitos.
PS: não sei se vc se lembra de mim, mas eu tava no show do MCR no mesmo 'grupinho' que vc... rsrsrsrs

Bjusss e já add seu blog!

Erica Ferro disse...

"Quanto mais reprimidos e fracos nos mostramos, o tigre da ignorância e repressão nos devora."

Ótimo texto, Tadeu!
Não percamos mais tempo.
Beijo.

Chris disse...

Meu você disse tudo e mais um pouco. Até acho que vai demorar um tempão para que essa duscusão tenha um fim

Ingrid disse...

Não vou fazer um comentário construtivo porque eu tô com pressa, rs. Q Mas eu me sinto na obrigação de falar que, definitivamente, você me surpreede a cada texto que escreve. Pra falar a verdade, eu só li uns 3 textos seus até hoje, mas gente, você é foda. *-*

manie disse...

me dá um autógrafo?

Mila disse...

A cultura preconceituosa do Brasil é absurda: não aceitar alguém pela sua opção sexual é ridículo.

Gabriela Magalhaes disse...

so tenho elogios a fazer,
sua forma de escrever, de abordar os assuntos,
é o primeiro texto seu que leio,
mais enfim, adooorei!!!

Felipe disse...

Realmente você está de parabéns por explanar um assunto tão complicado. Complicado porque pessoas não querem aceitar coisas que desde o início sempre existiu. O problema que hoje vivemos é porque, principalmente, a igreja impôs como errado. E outra coisa também as pessoas trocam o conceito de sexualidade pelo conceito de sexo. Se nasceu homem "nunca" poderá ser mulher e vice-versa. Mas pode sim gostar homem-homem e mulher-mulher. Antes de qualquer polêmica, devemos ter respeito por todos.

Laís Dourado disse...

Olá!
Já saiu o sorteio do interativos, passa lá no http://sejainterativo.blogspot.com/2010/04/3-edicao-resultado.html !

ps. Eu que fiquei de te indicar um tema, vou conhecer seu blog com calma e pensar em alguma coisa legal, ok?
;)

Karoline Freitas disse...

Você é sensacional. Escreve muito bem!

Laís Dourado disse...

Oi Tadeu, vi que você gosta de abordar alguns assuntos polêmicos e contemporaneos, então pensei que você poderia escrever sobre "aculturação" do povo brasileiro. Em que nível se dá a influência de outras culturas, principalmente norte-americana e européia, nos brasileiros. O quanto incorporamos os costumes, gostos e trejeitos. Qual o lado positivo e negativo desta conduta.

;)

Postar um comentário